• 🆘 ATENDIMENTO: Segunda a sexta 08:00 às 17:00
  • 🚚 Frete Grátis para todo Brasil!
  • 💳 Parcele em até 12 vezes no Cartão de Crédito!
  • 🆘 ATENDIMENTO: Segunda a sexta 08:00 às 17:00
  • 🚚 Frete Grátis para todo Brasil!
  • 💳 Parcele em até 12 vezes no Cartão de Crédito!

Ele vive, Ele Reina!

Sobre Atemporalidade e Relógios de Pulso

Sobre Atemporalidade e Relógios de Pulso

Várias são as dúvidas em relação ao surgimento do famoso relógio de pulso. Sem dúvidas, uma das maiores invenções de todos os tempos, a história desse objeto parece começar bem antes do que pensávamos. O relógio em si, já existia há muito tempo. Porém, o primeiro relógio de pulso de que se tem registro foi feito em 1814 pelo relojoeiro Abraham Louis Bréguet, encomendado pela princesa de Nápoles, e irmã do famoso Napoleão Bonaparte, Carolina Murta. Alguns anos depois, em 1868, Antoni Patek e Adrien Phillipe, fundadores da relojoaria Patek e Phillipe, também fabricaram um relógio de pulso e começaram a comercializar a peça, na época, difundida como um acessório de uso feminino.

 

O relógio só ficou popular em meio ao universo masculino em 1915, quando Santos Dumont solicitou ao amigo Louis Cartier que fizesse um ajuste em seu relógio de bolso. Embora muito usado na época e considerado um acessório de luxo, o relógio de bolso não era algo tão prático. Santos Dumont queria cronometrar o tempo de voo durante suas diversas experiências com mais facilidade, então, pediu a Cartier que modificasse a peça para que a mesma pudesse ficar presa ao seu pulso, facilitando a cronometragem. Mesmo depois de tantos anos e com a chegada de novas tecnologias, o relógio de pulso continua sendo usado pelo mundo todo. Com presença marcante e amplamente versátil, a peça conseguiu ultrapassar as barreiras das definições engessadas, se tornando não apenas um acessório funcional, mas uma ferramenta fluida que representa as mais variadas formas de comunicação e expressão.

 

Os relógios, apesar de fluidos, são também peças neutras. Ainda que tenham uma “função específica”, são peças que se moldam ao sentido que as damos. Adquirir um relógio é muito mais do que conseguir ter mais controle sobre o tempo. É deixar exposta, sutilmente, uma parte de nós mesmos. Com os mais diversos tipos de materiais e funcionalidades, assim como cada pessoa no mundo, cada relógio existente também possui uma identidade própria. Seja para uso pessoal, profissional, para colecionar, presentear ou apenas como adorno, os relógios serão sempre uma ótima escolha. Marcaram o passado, estão a marcar o presente e, com certeza, ainda marcarão o futuro. Como obras dinâmicas que são, farão de você atemporal também.

 


Deixe um comentário

Os comentários devem ser aprovados antes de serem publicados

Comment are moderated